terça-feira, 23 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

RS, Minha Pátria!

Depois de mto tempo sem escrever aqui, recebi um email com um texto que me deixou prá lá de orgulhosa. Os gaúchos são constantemente alvo de piadinhas difamadoras, principalmente de paulistas, e agora um paulista nos elogia e mostra ao País a importância de nossa cultura e senso de patriotismo.

Pois é.

O Brasil tem milhões de brasileiros que gastam sua energia distribuindo ressentimentos passivos.

Olham o escândalo na televisão e exclamam 'que horror'.

Sabem do roubo do político e falam 'que vergonha'.

Vêem a fila de aposentados ao sol e comentam 'que absurdo'.

Assistem a uma quase pornografia no programa dominical de televisão e dizem 'que baixaria'.

Assustam-se com os ataques dos criminosos e choram 'que medo'. E pronto! Pois acho que precisamos de uma transição 'neste país'. Do ressentimento passivo à participação ativa'.

Pois recentemente estive em Porto Alegre, onde pude apreciar atitudes com as quais não estou acostumado, paulista/paulistano que sou.

Um regionalismo que simplesmente não existe na São Paulo que, sendo de todos, não é de ninguém. No Rio Grande do Sul, palestrando num evento do Sindirádio, uma surpresa.

Abriram com o Hino Nacional.

Todos em pé, cantando.

Em seguida, o apresentador anunciou o Hino do Estado do Rio Grande do Sul.

Fiquei curioso. Como seria o hino?

Começa a tocar e, para minha surpresa, todo mundo cantando a letra!

'Como a aurora precursora / do farol da divindade, / foi o vinte de setembro / o precursor da liberdade '. Em seguida um casal, sentado do meu lado, prepara um chimarrão.

Com garrafa de água quente e tudo.

E oferece aos que estão em volta.

Durante o evento, a cuia passa de mão em mão, até para mim eles oferecem.

E eu fico pasmo. Todos colocando a boca na bomba, mesmo pessoas que não se conhecem. Aquilo cria um espírito de comunidade ao qual eu, paulista, não estou acostumado.

Desde que saí de Bauru, nos anos setenta, não sei mais o que é 'comunidade'.

Fiquei imaginando quem é que sabe cantar o hino de São Paulo.

Aliás, você sabia que São Paulo tem hino? Pois é...

Foi então que me deu um estalo.

Sabe como é que os 'ressentimentos passivos' se transformarão em participação ativa?

De onde virá o grito de 'basta' contra os escândalos, a corrupção e o deboche que tomaram conta do Brasil?

De São Paulo é que não será.

Esse grito exige consciência coletiva, algo que há muito não existe em São Paulo.

Os paulistas perderam a capacidade de mobilização. Não têm mais interesse por sair às ruas contra a corrupção.

São Paulo é um grande campo de refugiados, sem personalidade, sem cultura própria, sem 'liga'.

Cada um por si e o todo que se dane.

E isso é até compreensível numa cidade com 12 milhões de habitantes.

Penso que o grito - se vier - só poderá partir das comunidades que ainda têm essa 'liga'. A mesma que eu vi em Porto Alegre.

Algo me diz que mais uma vez os gaúchos é que levantarão a bandeira. Que buscarão em suas raízes a indignação que não se encontra mais em São Paulo.

Que venham, pois. Com orgulho me juntarei a eles.

De minha parte, eu acrescentaria, ainda:

'...Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra...'

Arnaldo Jabor

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Vera Loca - Velocidade

Sei que aos meus amigos é a música do momento da Vera Loca, mas preciso dividir com vcs esse clip que eu amooooooooooooo, e que na minha opinião ficou NINJAAAAAA.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Azaração sem noção. Eu não!

Eu não entendo o que há com essa gente. A garota tá na balada, sozinha ou com galera, e o cara tá do outro lado da pista fazendo “zoinho”, ela corresponde com um “zoinho-to-a-fim” e ele continua do outro lado, por hrs, fazendo caras e bocas sexys. Ele espera que ela atravesse a pista e diga “Oi, pode me comer agora”. Idiota! Se a mulher corresponder ao seu olhar, vá até ela, se apresente com educação e fale coisas interessantes.

Outro tipo impagável é aquele que chega até a garota e diz: “Vc é a mulher mais linda da festa”. Arg...que falta de criatividade. Me poupe. E têm piores, aquele tipo que nem consegue te dizer nada, simplesmente passa a mão pelo seu braço qdo vc cruza com ele no corredor apertadíssimo e mega tumultuado que dá acesso aos banheiros. O que esse tipo espera? Vc mal consegue se mover, está aflita pq sabe que dps de enfrentar o corredor “esmagação” vai ter que esperar pela fila interminável do banheiro feminino, e um bêbado-sem-noção acha que vc vai cair em seus braços pq ele lhe passou a mão. Éca!!!

Por outro lado, qdo um cara tenta chegar de forma mais cortês, mtas mulheres tb perdem o bom senso. O cara chega perto e olha, o tal zóinho de ants, e ela retribui com um olhar assassino, do tipo, sai-de-perto-se-não-eu-te-mato!. Medo. Ou aquele que vem e se apresenta e a menina nem dá chance, solta qq grosseria, mandando o cara para aquele lugar. Insensato.

Nem tanto ao céu, nem tanto à Terra. Em minha opinião, a primeira coisa que temos que ponderar numa balada é que a regra básica é: ninguém é de ninguém. Se vc tá sozinha, mas tem namorado, ou está acompanhada e seu bofe tá no banheiro, o outro cara não tem bola de cristal. Se for assediada nessa situ é pq vc é gostosa minha linda, tá arrasando. Seja educada, explique que é comprometida e que não está interessada. Sei que tem uns tipos que insistem, nesse caso vc é mto gostosa. Parabéns! Bom, se o cara não sabe ouvir um não eu lavo minhas mãos, aqui vale uma palavra grosseira e, em casos mais graves, a mão do seu homem na cara dele. Afinal, td tem limite.

Na real, o que percebo hj é uma banalização do assédio, principalmente na noite. Parece que perdemos a civilidade. Se dois adultos se encontram e têm uma boa impressão um do outro. Legal, pode dar jogo. Se a química bater, quem sabe a noite pode ir mais longe. Mas não é pq vc e ela são solteiros - e querem continuar assim - que a coisa tem que ser vulgar. Um toque de romance, acompanhado de boa educação não faz mal a ninguém.

Longe de mim ser machista, menos ainda moralista, mas acho mais interessante qdo o homem corteja a mulher. Se eu fosse homem e uma mulher me chamasse atenção na balada, eu perguntaria ao garçom o que ela está bebendo e pediria que lhe entregasse o próximo drink por minha conta, juntamente com um bilhete criativo e engraçado. Bom humor é ótimo para quebrar o gelo. Se fizer isso, fique atento à postura dela. O corpo fala. Se ela rasgar o bilhete ou revirar os olhos para cima, esqueça. A vantagem aqui é que vc evita grosserias e perda de tempo.

Porém, percebendo sinal verde, aproxime-se e tenha um bom papo. Se der certo vcs poderão ter uma noite ótima. Nesse caso, no dia seguinte não hesite em lhe enviar uma msg demonstrando o qto vc gostou. Isso não vai transformá-los em um casal e quem sabe até poderão repetir a dose outro dia.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Vc merece isso

Esse texto é de Chico Xavier, eu gosto tanto dele que tatuei a última frase em minhas costas.
Nasceste no lar que precisavas,
Vestiste o corpo físico que merecias,
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento. Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas. Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização. Teus parentes, amigos são as almas que atraístes, com tua própria afinidade. Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle. Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência. Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes... São as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivência. Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos. Reprograme tua meta, busque o bem e viverás melhor. " Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim ".

sábado, 3 de julho de 2010

Me preparando para nova life

Qtas malas uma mulher precisa pra carregar TODAS as suas roupas, sapatos, acessórios e cosméticos???? Aiii essa minha vida cigana...a vantagem é que a cada mudança eu descubro um monte de coisas que não preciso ou não uso mais. RENOVAÇÃO!!!